Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

Soneto a triste vida - Por Anderson Moço

*Poesia de Anderson Moço

Não é só sonho
Nem só realidade
Não é o amor que componho
Nem só desejo ou saudade

É ela, é ela
A vida triste e bela
A realidade diferente
A fome do medo da gente

Tristeza, sofrimento ou solidão
É só, triste e incomoda paixão
É o lírico com o olhar da razão

Saudade, medo e coragem
É fogo, sonho, é a maldade
É a vida que me invade

Um comentário: