Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

quarta-feira, 16 de agosto de 2006

Antropofagia da democracia

Poesia de Anderson Moço, Daniel Fleming e Moreno Bastos

Ontem comi um anteprojeto de lei
Saboroso e indigesto como a democracia
Farei um lobby estomacal pela autarquia
Para limpar minha boca nas barbas do rei
...............
Aguardo, sorrateiro, o desjejum da burocracia
Para falar livremente com demagogia
Só me calo com o guardanapo executivo
E os processos lavatórios do legislativo
......
Uma máquina de lavar processos relativos
Limpa o fim de semana de recessos retroativos
Na Piscina, os trampolins de falcatruas eleitorais.
Esqueçam os dias de cão, só lembrem dos carnavais!
.........
Ao digerir informações sem freios
Perco o controle dos fins e dos meios
Em um penico de ética desigual
Defeco um projeto inconstitucional


2 comentários:

  1. Dê, coloca o texto que te mandei

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu acho que tudo não passa de uma bobagem demagógica, sem fins, meios e lógica. Creio que suas teorias não passam de fantasias enlatadas compradas em uma boutique afamada.
    Encolham suas vaidades, suas bocas estão cheias de molho venenoso. Se bobearem engolirão essa patética luta do nada contra o vantajoso.

    ResponderExcluir