Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

ARU barÉ


arraste em seus raivosos rios
os desarranjos dos meus desafios
e o rumo que tomar seu ramo
carregará o cancro do meu crânio.

areje os rastros do que irradio.
rarefaça a força do meu frio.
extraia os traços tortos do engano
em extrato torpe atado por tirano.

odorize as dores e os delírios
não darão direito aos desavisos
destinados a torcerem o trato.

atine-me para que os meus brios
trajem-se de seu aroma e guie-los
a sorverem o seu cenário, estupefato.

*foto de Artur Cesar

Um comentário:

  1. Sem saber, ao não querer me ver, vc me fez chorar. "Leseira baré" minha, que ainda guardava amor pelo amigo que um dia deixei naquele aeroporto. Tudo passa.

    ResponderExcluir