Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

sábado, 21 de dezembro de 2013

emTeuTino


teu tato te tatua
no tempo em que estás, então
do todo, o que compactuas
ata teu tom à intenção.

ante tamanha atitude,
trates de teres virtude:
transe tudo que te dão.

na mente, a intuição
tem que tua atenção
toma o destino em suporte.

se não te aguentam, suturas,
o vento em que te aventuras
tem que tecer tua sorte.


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

não ao não


Nenhuma norma anula a Natureza,
enervada em nômades humanos.
O nato entona em defesa
os nomes destinados dos seus manos.

Anunciad'o ânimo e nobreza,
nutre-se o ensino dos enganos,
nega-se o alcance da certeza,
arruinando o plano dos decanos.

A uma única tônica os condena.
Destina o seu sangue à gangrena.
Emana as notas do final.

Reclama os danos d'uma pena
e trama pra tornar eterna
a sua sina em ser vegetal.



quarta-feira, 7 de agosto de 2013

além

a semente vinga,
devora-se.
Desenvolve
o caule.

Desentranha-se
e envolve-se
na terra.
Desponta.

Soma-se
à conta.
Assombra.

Enfim, emana
antimathusiana
seu sémen, além.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

entreMentes


Se observar a vida de chofre,
mesmo sob o manto da saúde,
verá, a todo canto, amiúde
a ruína por que, tolo, sofre.

O torpor, há tempos,  lhe aturde
sequioso pela terra do enxofre.
Faz-lhe suplicar por ter um cofre
que tranque o ardor da juventude.

Do nascimento à morte, insidiosa,
há mais de mil versões da glosa
para dar fins ao retrocesso.

A vida é mortificação fantasiosa.
Se não tirar tento desta prosa,
devolva, no guichê, o seu ingresso.


quinta-feira, 25 de julho de 2013

vivos voco

Sem razão para crer
nas invenções por aí,
sem sermão sequer
posta-se para iludir.

Comporta-se para conter
preceitos ao incutir
o que julga seu ser
lançar-se como elixir.

Mas, sem solução, se ferra
crente como seus pares.
Perde o duelo e a guerra
lhe faz atrasar hectares.

A razão finca raízes na terra,
a crença joga suas folhas nos ares.
Quando seu vôo se encerra,
deitam no solo os azares.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

iaí

que tal
teu tempo
que tanto
tento
atravessar?
um tormento,
um tonto
intento
em te
trancar.

teus traços
traçam
instintos
e tragam
o éter
dos trópicos
em que teu
destino
entontecido
tenta me
atar.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Fremem

A palavra surge
sem causar espanto,
mas a frase inteira
traz estranhamento.

Outro trecho dito
traz um disparate
e os ouvidos mudos
calam-te.

O discurso segue
e os olhares tortos
tornam rubra a face.

Pelo fim dos versos,
num só solilóquio,
violentam-se.


domingo, 23 de junho de 2013

...

míseros avaros,
ora
inteiros,
metem-se nos vários
arrasos,
entram no terreiro
em transe,
bóiam
no banzeiro
e partem-
me ao meio
termo.

terça-feira, 7 de maio de 2013

inoPinado

Seus traços finos
me travam os pinos,
me fazem pirar.

Por seu encanto,
eu tento tanto
me destravar.

Mas os seus traços
traz`embaraços
ao bem estar.

E me contento
com meu intento
em ser seu par.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

quinta-feira, 4 de abril de 2013

O PLANO

                Eu tenho
                              um plano:

                              morro.
                          o
                subir


                ou
                       plano...

                       morro!
                ou

quarta-feira, 13 de março de 2013

aMuse-se

Navegue seu apreço em cada letra
e, a cada lance do acaso, me prometa
escorrer, nas lágrimas, o meu sangue
para dar, ao mar, um mangue.

Conserve os fracos galhos na salmoura
para se tornar a mulher que fora
a musa destes versos transviados
que pintam a pele em tons amargos.

Se se soltar do que lhe faz presa,
lhe acolherei com gentileza
para devorar sua perspicácia.

Não posso mais deixar acesa
à vossa ordem vaga, Altesa,
a longa ânsia pela sua audácia.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

aPáLavra

a palavra
repetida
muitas vezes
tem o seu
sentido
suprimido
suprimi
supre

a palavra
tem no seu
sentido
algo
por ter sido
repetiDA
repetIDA
repeTIDA

a palavra
sem ser
dita
teme ter
a sua letra
esquecida
e qu  ci  a
   q    c   a

rePETida
a palavra
su.........
a palavra

a pa lavra
a pa la vra
a p a l a v r a

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

biSonho

um homem metido às soluções
há de enrolar-se em seduções
sensíveis ao seu nutrido sonho.

sua ilusão torna-se confusa
ao ver-se dentro de sua blusa
tão só mais um ser bisonho.

assim, a dor o assola, lancinante,
pois, passa a ignorar, doravante,
o que tornara esse mundo enfadonho.