Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Há de Haver

Onde houver conforto,
onde houver carinho,
onde houver sorriso,
faz o seu caminho

Onde houver certeza,
onde houver ternura,
onde houver beleza,
entra e se segura

Onde houver ouvido,
onde houver conversa,
onde houver abrigo,
nada lhe atravessa

Onde houver silêncio,
houver contentamento,
onde houver sentido,
prenda o pensamento

Onde houver razão,
onde houver destino,
onde houver canção,
viva em desatino.

Onde houver tensão,
onde houver lamento,
não houver paixão,
saia de mansinho.

vAdia

A VIDA
AINDA
SURPREENDIA
NO DIA
DA DESPEDIDA
E MESMO NA
COVARDIA
O DIVERTIA

A VIDA
TÁ DIVIDIDA
EM DÁDIVA
E DÍVIDA
A SAÍDA
É DEIXAR
SENTIDO
EM SI

HÁ NADA
EM CIMA,
QUE ENSINA
COMO VIVE
A VIDA
SADIA
DESAPERCEBIDA
E MACIA

Desompensado

Ainda não esqueço a Juliana,
não me esqueço da Amanda,
não se esquece assim.

Ainda não me esqueço da Renata,
não me esqueço por nada.
não me esqueço da Joana.

Ainda não esqueço a Beatriz,
não esqueço se me fez feliz,
não me esqueço da Soraia.

Ainda não esqueço a Adriana,
não se esquece o que engana,
não esqueço a Catarina.

Ainda não esqueço a Margarida,
não lhe esqueço querida,
não se esqueça de mim.

Ainda não esqueço o meu passado,
não esqueço o que me tem cuidado.
Mas agora, só há espaço pra ti.

scendere


Eu quero beber a noite
quero chover
eu quero me asfaltar no chão
quero chorar

Eu quero pilotar a Lua
me pintar de estrelas
eu quero o escuro
para me apagar

Eu quero reascender
quero nascer de novo
me desencontrar

Eu quero me vestir de grama
quero semear
eu quero florescer meu corpo
não quero parar

Café para dois

Que as flores todas sejam rosas
Que todo amor seja dito
Que tudo seja isto
O que sinto por ti

Que os caminhos deem aqui
Que os desejos sejam feitiços
Que estejas comigo
Se estivermos juntos

Que os cheiros se sintam
Que os beijos tenham destino
Que se diga, que se grite
O que me desatina

Que te soltes
Que me tenhas
Que nos tenhamos
Que tudo nos seja pouco

Que este pouco seja tanto
Que nos seja bastante
Que nos encante
E que nos tenhamos pra si

Que um ponto sejam dois
Que teu café para nós dois
Que tua canção
Seja meu pão

E depois

Fetiche

Agora, já pode entrar em todos mares
Mergulhar todos olhares
Navegar no vento
no tempo
Pode deitar o seu intento
Já pode fluir
Agora, já tem mais que pazes
Abraços, beijos e lares
Já pode ser
Já pode sair
Pode voltar
E mais
Agora, já é seu sonho
Já pode viajar
E nunca retornar
Ao ponto
Em que se perdeu
Já pode se encontrar
Consigo
E conseguimos todos
Juntos
Um poucado a mais
E ainda pouco
Pode se encontrar
Aqui mesmo onde está
E muito além
Agora ja pode viver
Pode ser
E se deliciar