Páginas

INQUIETO

"Eu gosto dos que têm fome e que morrem de vontade, dos que cercam de desejo, dos que ardem." (Senhas_Adriana Calcanhoto_1992)

domingo, 23 de abril de 2017

#rancateta

Eu chupo
como se mundo
não houvesse
como se ninguém
me ouvisse
e de fato não se houve
Eu sugo
como se fundo
não tivesse
como se nenhum vaso
fosse raso
e, de certo, não há fim
Eu curto
como se o couro
não puxasse
e esticasse
toda minha pele
até a mim

terça-feira, 18 de abril de 2017

Dou-me

Vou te contar um segredo:
- Eu tenho medo!
Tenho medo de sair
Tenho medo de não ser
Tenho medo de ser demais
e tenho medo de já não ser mais
Tenho medo de ser engolido
e engolir o mundo todo
Tenho medo de escapulir
e de estar sempre vindo
Tenho medo do mundo
Tenho medo de quase tudo
Tenho medo de você
Tenho muito medo de mim
Também tenho medo do escuro
Eu tenho medo do absurdo
por ter medo do buraco
que o medo deixa em mim
Vou contar pra você:
- Eu tenho, mesmo, medo do mundo
Mas me mete medo mesmo
a coragem que o medo me dá!

[13:13, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: BurgBand

           
       
[13:14, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: Nessa rua tem vários puteiros                      
[13:14, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: nestes puteiros ja tocaram os Beatles                      
[13:14, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: nestes Beatles, tinha um menor de idade                
[13:14, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: esse menor se chama George                    
[13:15, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: a polícia foi ao puteiro pra prender o menor George que toca com os Beatles                      
[13:16, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: a polícia fez uma putaria                      
[13:17, 18/4/2017] +55 31 9954-2004: por isso, chama_se puteiro

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Liberatura

Nem a noite
e nem o sonho
te fizeram dormir

Nem o medo
e nem o drama
te fizeram sumir

Nem o riso
e nem o choro
te fizeram mentir

Não foi um grito
nem um sussuro
que te fizeram ouvir

Não foi o jeito
nem foi o modo
com que mostraram pra ti

Nem mesmo o texto
nem mesmo a letra
fizeram, a ti, redigir

Não tem carinho
não tem carícia
que te mate o prazer

Nem mesmo o cheiro
nem mesmo o som
fazem teu corpo tremer

Não tem destino
não tem desejo
que lhe ponha um câncer

Tem só segredo
tem saudades
do que te fazes ferver

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Estrondo

Quis ser sua brisa.
Quis ser seu vento alísio
que tocasse a sua face
e que nos definisse.

Quis ser sua garoa,
fina e duradoura.
Quis ser chuva boa
que nos refrescasse.

Quis ser o seu éter
que lhe ventila e sustenta.
Quis ser um só pensamento
que nos conduzisse na reta.

Quis ser um suspiro
que acolhe e acalenta.
Mas acabei sendo medo,
raio, trovão e tormenta.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

3 dias sem fim

Enquanto eu gostar de você,
enquanto você gostar de mim,
tudo o que sinto é pra sempre
um futuro infinito sem fim.

Enquanto me quiser ver,
enquanto me disser sim,
o tempo vai se estender
e eu lhe ver a dormir.

Enquanto puder lhe abraçar,
enquanto se deitar aqui,
minha cama será seu lar,
meus planos são todos pra si.

Vai, volta para me ter.
Fica, vou ter com você.
Temos três dias para nos amar
e todo o resto para repetir.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Mais Que Quando

Já que vamos ser amigos,
mais que amigos,
encha minha casa,
sirva minha taça,
beija-me no rosto.

Já que vamos ser amigos,
muito mais que amigos,
diga o que quiser,
o que lhe der prazer
num e n'outro ponto.

Já que amigos,
mais que amigos,
dê-me um abraço apertado
converse comigo
escute meu choro.

Já que vamos ser,
qu'eu lhe sinta em você,
que sejamos
mais que o quê
e quando.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Ruptura



Um momento
que até agora dura
Meus sentimentos,
nossa mistura

O tempo e a rotina,
seu espaço
em minha retina

Um pensamento impuro,
nosso encontro
e ruptura

Seu pulso lento
me acelera
e consome

O que já não era,
um beijo a mais
e despedida

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

aGuenta

Se pudesse,
eu te desenhava,
pintava tuas cores,
destacava o relevo,
emanava teu cheiro,
me mexia por ti.

Se soubesse,
te escrevia na linha,
descrevia o que tinha,
te leria,
letra p o r letra,
todo teu texto.

Se quiseres,
nos comunicamos
por um sinal,
uma senha,
um sonho
ou engano.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

8 Finos

Quando eu saio
à noite
é sempre lua
CHEIA
Uma ou outra
EsTreLa
ME incendeia
ME chama
Deita sua LUZ
em minha
CAMA
me entrega pra
CADEIA,
e me ODEIA!
e me AMA

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Para não partir

Atravessamos mares pra navegar nossos sonhos,
vencemos moinhos feitos de papel e carimbo
Subimos ladeiras e
subimos ladeiras
Seguramos a distância com um nó
na garganta,
transformado em laço por muitos dedos
Nos demos a mão,
mas queríamos abraços
e tivemos tantos
e tão apertados
que nos deixam marcas
Um conforto de se saber protegido,
um frescor para o suor.
Envergamos a cabeça,
reclinamos o pescoço,
desfolhamos cada livro, cada artigo
Viramos cada copo em ato contínuo
Ébrios, superamos nossos limites,
superamos outros limites
Ultrapassamos fronteiras
para nos achar em si
Gastamos palavras
Engolimos a noite
para, enfim, nos encontrarmos
espelhados nos olhos marejados
de um bom amigo