Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

domingo, 9 de dezembro de 2007

Eles não vão à Daslú

A sociedade foi feita por ricos.
E pros ricos ela foi desenhada.
Se um pobre não tiver muito afinco,
Vai viver pra sempre na merda.

Se quiséssemos distribuição igualitária,
Estabeleceríamos um teto de riqueza.
Mas quem for, na pobreza, um pária,
Terá milhões de reais em tristeza.

Ilhas, mansões, carrões, Daslú.
Fome, miséria e calor no talo.
Os pobres morrem como patos, incautos
Amarrados na escravidão dos contratos.

2 comentários:

  1. Marcella Fortuna Elias10 de dezembro de 2007 23:18

    Frotinha, Frotinha, suas tiradas e poesias fazem falta no mundinho "pucciano" rs

    Pena que vc não pode estar quinta conosco
    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  2. Cara me amarrei no seu blog, conheci ele através de uma amiga que temos em comum, em Poços, a Tábata. Também tenho um blog, que segue essa temática de injustiça social.... acesse http://blogdoeeusozinho.blogspot.com/

    ResponderExcluir