Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

domingo, 27 de janeiro de 2008

Irrenunciável

Poesia e foto de Raphael Alves



Se de pedras e asfalto ao avesso
fazem-se essas ruas vadias
É em nuviosa melodia
que ao canto desapareço
...
Pelo tempo, o nosso apreço
inda maior seria
Se no fim da ventania
soprasse o recomeço
...
Com punhado de terra e água
misturados sorriso e mágoa
fez-se história de raiz forte
...
Contada à nossa maneira
com rimas de vida inteira
e capítulos para além da morte

2 comentários:

  1. Caro amigo nas palavras, profissão e fotografia,
    Obrigado pela divulgação/publicação do meu trabalho e, sobetudo pela dica...Não tinha atentatdo para o que o WORD fazia e já apliquei as correções no blog, como podes checar depois.. Forte abraço e precisamos discutir mais poesia, fotografia e esse mundo...
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Claudinha de Fortaleza29 de janeiro de 2008 12:20

    Ola Daniel! Tudo joia?
    Nao tinha deixado um recado ainda!
    Estou sem computador desde quando voltei de viagem. E como estao as coisas por ai?
    Muito legal teu blog!
    Parabens!
    Bjo!
    Claudinha

    ResponderExcluir