Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Crisado


Quando, às vezes, essa onda me engole
fico um tempo afogado, eu fico mole.
Mas, se passa, em um estante resplandece
os desejos gloriosos da minha prece.

Olha só, tudo muda muitas vezes.
Sua vida ainda terá muitos revezes.
Ser você é navegar nessa tormenta,
não ter medo de buscar o que intenta.

Só não ceda às pressões das correntezas,
que o levam leviano em incertezas
por onde nunca ousaria navegar.

Nade intempestivamente neste oceano
e, ao se sustentar neste auto-engano,
na crista dessas ondas poderá surfar.

4 comentários:

  1. contra a ordem
    contra a onda
    dói, mas o levante lança seu porvir

    ResponderExcluir
  2. Cara, eu sou suspeito porque amo sonetos e adoro seu trabalho... Mais um para eu apreciar repetidas vezes...
    Qnd puder, veja o meu...voltei a publicar :D

    ResponderExcluir
  3. Pô Dani, muito bom esse poema.
    Gostei de verdade. Cheio de sentimento, uma boa métrica e rimas raras. Parabéns
    Fique bem
    Saudade

    ResponderExcluir