Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

sábado, 18 de setembro de 2010

DisTiNTurado

Aqui, dentro de mim, está guardado,
comprimido de um modo exaustivo,
os sentimentos de um sonho inacabado
e as dores de um delito omissivo.

A pressão dos olhares renegados
e os caminhos sinuosos adotados
são fuga à verdade e ao que sinto.
Tornam branco o sangue que foi tinto.

Meu corpo não se aguenta manter são
por agir em cada escolha à contramão
das vontades internadas de amargura.

Espero que a premente erupção,
antes que me  arruine em implosão,
destrua esta pálida e soturna armadura.

Um comentário:

  1. vandamis-vandamis.blogspot.com2 de outubro de 2010 20:14

    Espero que a erupção,seja de espinhas...
    Que o sangue branco,seja um bom vinho do porto,
    Que as dores,foi pela posição,
    Que a exaustão foi de amar,
    Que o corpo já não aguenta mais....
    Que os olhares foram de inveja...
    Que os caminhos foram percorridos em curvas,pedaços por pedaços,centimentos por centimentos por pura prazer.Que a armadura já não mais existe,por que agora é só prazer

    ResponderExcluir