Páginas

INQUIETO

"Mas sigo o meu trilho. Falo o que sinto e sinto muito o que falo - pois morro sempre que calo." (Affonso Romano de Sant'Anna_Que País é Este?)

terça-feira, 12 de dezembro de 2006

PARA PEDRO_DanielFleming

Por onde andará DanielFleming?
Ele sumiu sem virar o leme,
mas ele estará
sempre com você

Sempre que quiser o reencontrar,
é só começar a imaginar,
ele o encontrará nos seus
pensamentos
Sonhos
e lamentos

Juro,
adorei te conhecer,
mas os rumos do que veio
a acontecer
impediram nossa afinidade
Te conheci,
um pouco afinal
Você é um cara legal!

um abraço,

DanielFleming.


segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

Vila Violada

Era uma vila muito engraçada,
não tinha esgoto, não tinha água
Ninguém podia se comunicar,
Porque internet não tinha lá.

Todos ardiam em suas contas,
mas não teriam ao final das pontas
infra-estrutura pra sobreviver
nem um livro massa pra poder ler

As suas calçadas, esburacadas
não os deixavam parar na estrada
Se poluiram com um palavrão
e enterraram a interação

E essa Vila não tem cultura,
identidade em suas ranhuras.
Mas quem visita quer entender
como é que pode permanecer.

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Reluzia (O Sombrio e o Brilho do SOL)



Só eram sombras quando surgia
Sorvia os feixes da serventia
Se não houvesse, se dava o eclipse
Sua ausência soava a apocalipse

Só eram sombras quando surgia
Vinha a Lúcia e a luz vinha
Ia a Lúcia e a luz ia

Assim que incidia sua postura
De satélite atônito em sua tontura
Refletia um flerte que flutua
E a sombra inerte tornava-se tua

Só eram sombras sem energia
E de importância as preenchia
Ao despontar sua sinergia
E colidir com o meio-dia

Só eram sombras e surgia
Vinha a Lúcia e a luz vinha
Ia a Lúcia
E não mais reluzia